¹

19.7.18

TUPARETAMA REALIZOU 1º FORUM PRÓ SELO UNICEF 2017-2020


O Município de Tuparetama realizou nesta quarta-feira, 18 de julho, o primeiro Fórum Comunitário do Selo Unicef-2017-2020. O evento ocorreu no Teatro Municipal Manoel Filomeno de Menezes e contou com a participação de várias autoridades, educadores, servidores públicos e  representantes de organizações da sociedade civil. 

O Executivo foi representado pelo vice-prefeito Tanta Sales e pelo(a)s secretário(a)s municipais de Assistência Social, Cultura, Educação e Saúde. O poder legislativo foi representado pelos vereadores Diógenes Patriota e Danilo Augusto, presidente da Câmara. 

O Forum teve início com apresentação artística do hino municipal, feita pela turma de estudantes de escola Francisco Chaves Perazzo, do município, sob coordenação da professora Maria Salomé (Sula). 

A articuladora do Selo Unicef no município, professora Maria José Leite Brasiliano, reforçou a importância do engajamento de todos para o sucesso dos trabalhos que resultarão na melhoria das ações e programas voltados para as crianças e adolescentes no município, e somente assim será obtida a aprovação do Selo Unicef 2017-2020.  

Na ocasião foram presentados os membros da comissão do Selo Unicef, que inclui a presidente do Conselho Municipal de Direitos da Criança e do Adolescente, Aline Perciane, e o coordenador do NUCA - Núcleo de Cidadania dos Adolescentes de Tuparetama, Sílvio Rogério. Durante o evento houve também uma apresentação cultural com o Grupo de Capoeira Pelourinho da Bahia, do professor Wellington Daniel /Professor Cara Limpa.  

O fórum foi uma oportunidade de expor a metodologia do SELO UNICEF, cujos municípios participantes assumem o compromisso de elaborar um diagnóstico da situação da população de 0 a 18 anos incompletos e um Plano Municipal de Ação para enfrentar os principais problemas que afetam essa população. O atual ciclo do selo começou em 2017 e vai até 2020. No último ano, o Unicef visita às cidades participantes e faz uma avaliação. Em dezembro, os municípios aprovados recebem a certificação.

O Município também se compromete a desenvolver ações nas áreas de saúde, educação, proteção e participação social de crianças e adolescentes e a monitorar os resultados alcançados por meio de indicadores e de debates em fóruns comunitários. Dos 5.570 municípios brasileiros, 1.901 já confirmaram adesão ao programa, dentre eles, Tuparetama, que já foi contemplada com o Selo Unicef em sua edição anterior. 

CONFIRA ABAIXO SLIDE COM AS FOTOS DO 1º FORUM REALIZADO NESTE DIA 18 EM TUPARETAMA: (Fotos cedidas por Aline Perciane) 


17.7.18

TUPARETAMA REALIZARÁ NESTA QUARTA-FEIRA, 18 DE JULHO, 1º FORUM COMUNITÁRIO PRÓ-SELO UNICEF 2017-2020


O Forum acontecerá no Teatro Municipal Manoel Filomeno de Menezes, a partir das 8h da manhã. Na ocasião a comunidade definirá juntamente com representantes da gestão pública as prioridades e políticas públicas voltadas às crianças e adolescentes. 

Tuparetama é município aprovado, recebedor do SELO UNICEF na sua edição anterior, durante a gestão do ex-prefeito Dêva Pessoa. O desafio agora é ampliar as ações que garantiram o SELO UNICEF para o município e conquistar o "bicampeonato" com o SELO desta edição 2017-2020. 

PROJETO VAGA-LUME DE VOLTA A TUPARETAMA NESTE FINAL DE SEMANA. Confira a programação





12.7.18

UDISTOQUE PAJEUZEIRA - Um festival em homenagem a Zeto, no meio do mato



UMA FACULDADE PARA A GENTE CHAMAR DE NOSSA


Por Mariana Teles

Já dizia Ariano Suassuna: “tenha muito cuidado com doido”. 
Hoje, um doido de São José do Egito realizou um sonho de todo o Pajeú: uma Faculdade para a gente chamar de nossa! 

Após anos de batalha pesada, enfrentando a rigidez da burocracia estatal, da política, os desafios de empreender numa cidade sertaneja, de apostar no desenvolvimento de uma região distante de qualquer planta industrial, mas com uma vocação absurda para produzir inteligências, HOJE o MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO conceituou a FACULDADE VALE DO PAJEÚ com nota 4 (escala de 1 a 5) como CENTRO UNIVERSITÁRIO e finalmente a FVP abrirá suas portas para gerar ainda mais desenvolvimento, renda e cidadania para o Pajeu. 

Cresci acompanhando a dificuldade de meus pais para manter os irmãos estudando na capital. Com o tempo chegou a minha vez e não foram poucos os desafios de alcançar o sonhado diploma universitário. Só quem é filho de sertanejo, que não nasceu com nenhum sobrenome tradicional, sabe a alegria que é voltar a casa dos pais com um diploma de curso superior. Esse foi o destino de muitos jovens do Pajeú. E continua sendo. 

Foi o destino de Cleonildo Painha, advogado brilhante, de comunicação política extraordinária e uma capacidade de fazer e cultivar amigos absurda! Mas esse “doido”, filho de Seu Eliseu e Dona Socorro, além de toda essas capacidades, também é um realizador de sonhos. E nessa capacidade de empreender, fez o que muita gente, em condições até mais favoráveis não conseguiu tirar do papel. 

É gratificante saber que as próximas gerações jamais saberão o que é esperar a semana inteira para chegar uma caixa de feira do Sertão enquanto peleja na capital buscando concluir um curso superior. 

A Faculdade Vale do Pajeú já reserva o seu lugar na história ao lado dos grandes, meu amigo! Hoje o Pajeú ficou muito maior, Painha! Essa luta não seria possível sem a crença de Zé Marcos de Lima, quem acreditou nesse sonho do mesmo jeito de um agricultor plantando quando toda meteorologia diz que não vai chover! Era a lógica natural dos fatos dizendo que o sonho não saia do papel e o sempre menino de Seu Zé Custódio acreditando! Um sonho só precisa de quem acredite nele! Que orgulho da sua luta! Que orgulho da sua OUSADIA! Você não faz ideia da multiplicação de CIDADANIA que vai nascer nas salas de aula da Faculdade Vale do Pajeú. 

O futuro irá ecoar o tamanho da sua luta! A luta pela educação! A Nação Pajeú hoje se abraça com alegria e com esperança renovada! Tem um geração vindo aí com vontade de fazer diferente! E já começou fazendo, fazendo grande e fazendo bem feito! Nasce oficialmente um novo capítulo para história de São José do Egito. Nasce a Faculdade Vale do Pajeú dizendo a Pernambuco que a terra da poesia vai ser a capital da Educação do Pajeú!

UM TUPARETAMENSE QUE SEMPRE VESTIU A CAMISA DA SUA CIDADE. ESSE FOI CARRIM...


Finalzinho dos anos 70. Olha lá o cara com pinta de galã de novela, cabelão “invocado” e porte de atleta. Agilidade e flexibilidade na trave do gol faziam dele o melhor goleiro de Tuparetama e talvez da região. Estamos falando do nosso amigo Carrim, o Carrim de Zé Padeiro e Dona Inácia. 

Quem teve a experiência de vê-lo jogando no gol do Botafogo de Tuparetama ainda recorda-se de suas qualidades, como bem lembrou seu amigo-irmão Josa Rabêlo nas palavras de despedida hoje cedo, ao pé do caixão, ao lado da família e de uma multidão de amigos e conhecidos que se espremiam na rua em frente à sua casa para o adeus final. Carrim é mais uma figura representativa de nossa Tuparetama que nos deixa – cedo, muito cedo - pra sempre. 

Representa, primeiramente, uma geração com quase 60 anos que precisou ‘se virar’ e ‘rebolar’ para superar as imensas dificuldades de sobrevivência e de lazer numa cidadezinha pequena de interior, 40 anos atrás, num país injusto e desigual, imensamente mais desigual que hoje. Representa a exceção, aqueles que teimaram em ficar enquanto a maior parte dos amigos e colegas eram praticamente “forçados” a migrar para grandes centros como São Paulo, Rio, Brasília, em busca de trabalho e de oportunidades. 

Representa aqueles que teimando em ficar, formaram novas famílias de tuparetamenses, cujos filhos em nada mais lembram aquela juventude do país sob ditadura militar com poucas oportunidades. No caso do amigo Carrim, teve a sorte dos que são privilegiados no matrimônio: encontrou na pessoa de Graças Brito, professora e cidadã exemplar, a companhia ideal durante mais de 30 anos, com três filhos admiráveis, hoje adultos, que já nos orgulham com suas trajetórias de trabalho, de honestidade, ética e inteligência. Breno, que assim como o pai escolheu permanecer na terrinha, onde já casou e vem se destacando como empreendedor,  e Eduarda (Duda) e Messias, acadêmicos, que contagiam com seus bons exemplos de esforço e dedicação outros jovens conterrâneos. Mas acima dessas conquistas maior valor tem a dedicação pela recuperação da saúde do pai e no apoio à mãe, nesses dias difíceis de luta numa UTI. Que são os filhos senão o reflexo dos exemplos e do amor recebidos dos seus pais? 

Eu particularmente relembrarei com saudades do colega de trabalho de Prefeitura, parceiro de agruras e desafios que nós, servidores municipais, enfrentamos no exercício de funções. Foram incontáveis momentos de colaboração, boas risadas e muitas brigas, sobretudo nos trabalhos durante as festas juninas e decoração natalina da cidade, bem como nas suas “doidices” como nos blocos carnavalescos das Catraias. 

Relembrarei com saudade do parceiro empenhado no desenvolvimento e valorização do esporte em nosso município, em tantas ocasiões que estivemos juntos: nos torneios e campeonatos, nas gincanas e atividades de atletismo da “Culturama” dos anos 80, como co-fundadores da Liga Desportiva nos anos 90, ao lado de vários outros desportistas, na formalização e capacitação de equipe de arbitragem em nossa cidade, nas organizações dos jogos escolares, nas iniciativas à frente da Diretoria de Esportes e, para concluir esse breve e incompleto retrato do nosso amigo, essa marca que também nos ajuda a dimensionar sua grandeza: foi em toda sua vida o perfeito irmão mais velho, aquele parceiro e protetor, que esteve lado a lado e degrau a degrau em cada passo do seu irmão Doda. 

Um grande tuparetamense enfim, destes poucos que tiveram o privilégio (e a desdita talvez) de viver toda sua existência na terra natal. Vida curta, pois uma vida com menos de 100 anos é sempre curta, mas imensa de valores como imenso é o coração dos que nascem neste lugar, como imenso é o coração do Padroeiro que o abençoa, como imenso é o mistério desta fulgás faísca chamada Vida.

Tuparetama, 11 de julho de 2018
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...