27.2.12

PROGRAME-SE PARA O BALAIO CULTURAL DO MÊS DE MARÇO!

PAISAGENS PARTICULARES - Geologia possível ( III ) - CORDILHEIRA 1

PAISAGENS PARTICULARES - Geologia possível ( II ) - ILHA 1

26.2.12

ENTREVISTA COM LIMA JUNIOR : "ESTÁ FALTANDO UM CANDIDATO QUE SEJA DO NOSSO AGRADO"

Quando pensamos em convidar alguém da área cultural, artista, para o espaço de entrevistas da série “De olho nas eleições 2012” deste blog, imediatamente veio à nossa cabeça o nome do poeta e escritor Lima Junior. Amigo particular, pessoa de opiniões claras e paciência curta para “arrodeios” e “falcatruas”, são muitas as razões para nossa conversa. Em primeiro lugar porque Lima Junior é isso que citei linhas acima, um artista com independência, sem vínculos partidários mas ao mesmo tempo interessado e conectado com a política local. Um artista que discute, opina, investiga e ouve as ideias e opiniões políticas de outros artistas e dos tuparetamenses de todas as idades.


TVA: Junior, como você está vendo a situação política atual em Tuparetama? Qual sua opinião sobre este momento?
Lima Junior: Tárcio, primeiramente eu agradeço o convite para expor meu ponto de vista sobre a atual situação política da nossa cidade, e deixo claro que tenho um enorme respeito pelas opções políticas de cada eleitor deste município. Afinal, cada um sabe de si, cada um tem sua ideologia ou sua preferência partidária, por este ou aquele motivo.
Hoje eu vejo uma Tuparetama mais rebelada, de uma forma um tanto distinta das eleições passadas. Percebe-se que o grupo político da “situação” está sem um representante que agrade a sociedade. Os nomes que aparecem, dos dois pré-candidatos (Valmir Tunu e Romero Perazzo) são populares, conhecidos, com trabalhos desenvolvidos no município, porém com um percentual maior de rejeição que de aprovação.
Quanto aos grupos de oposição todos estão percebendo que está cada vez mais difícil de chegarem a um consenso. Parece que interesses pessoais falam mais alto que o verdadeiro sentido da palavra oposição. Creio que se não houver uma verdadeira união dos partidos de oposição, com uma única bandeira e um único propósito, será uma campanha suicida. Estarão “mirando na cabeça e acertando apenas as pernas”.

TVA: E a sua situação política pessoal? Você se coloca no momento como oposição, situação ou neutro?
Lima Junior: Hoje, me coloco neutro.

Lima Junior em desenho do artista Perazo Castilho
TVA: Por que essa opção pela neutralidade? Isso é possível, ficar neutro?
Lima Junior: Olha Tárcio, no momento eu realmente estou neutro no sentido de não estar vinculado nem à situação nem à oposição, pois esses dois lados tem falhas e erros com os quais não concordo nem gostaria de me comprometer. Mas não estou neutro no sentido de exercer meu direito de criticar, elogiar, expor minhas opiniões...

TVA: O que você vê de positivo e negativo na situação e na oposição?
Lima Junior: A administração municipal vem fazendo um trabalho no município que é visível aos olhos de quem vive aqui e também de quem visita a cidade. Realmente são muitas obras construídas, graças ao empenho do gestor e graças sobretudo ao PAC e outros programas governamentais que liberam muitos recursos, o Governo Federal praticamente esfrega o dinheiro na cara dos gestores. Todavia algumas coisas são mantidas longe dos olhos de quem passa, fiascos a que são submetidos os funcionários e a população em setores como Cultura, Saúde etc.
Já na oposição temos algumas “alas” que buscam combates diretos e pessoais, colocando em risco uma gestão. E temos “alas” que hoje, segundo se comenta em toda a cidade, buscam uma “união” de conveniências com os grupos da situação. Veja bem, estão expondo ao ridículo todo um povo que sofreu opressões, perseguições e rachas de famílias. Se houver essa união da oposição com a situação, como fica o respeito e a dignidade de um povo que ainda acredita em homens dignos?

TVA2: É a sua opinião sobre uma provável coligação dos grupos liderados por Vitalino Patriota e Sávio Torres? O que você tem escutado das pessoas a respeito disso?
Lima Junior: As “esquinas” falam de uma coligação. Não posso afirmar que essa história seja verdadeira pois ainda não ouvi a confirmação da boca de Vitalino. Fala-se sobre uma chapa com Valmir Tunú e George Patriota. Isso se concretizando me deixará triste. Nada tenho contra Valmir, nada mesmo! Mas estamos falando de grupos políticos que ao rachar levaram consigo pessoas de bem, pessoas dignas, respeitadoras, que bateram de frente com o poder e até com seus próprios familiares em defesa desses políticos. Essas pessoas, quer sejam dos grupos dos Tunus, Patriotas ou Perazzo, ainda acreditam em seus representantes e esperam não ser passados pra trás. Pessoas que têm vergonha e dignidade suficiente para não engolir “acordos”. Eu entendo que unidos os dois grupos novamente, seria eternizar um só grupo no poder, seria ditadura. Imaginem apenas uma loja ou uma padaria ou um supermercado numa cidade deste tamanho!

TVA2: Quem é no momento a principal liderança da oposição no município?
Lima Junior: Não é segredo pra ninguém que é Vitalino, seguido por Edvan Pessoa.

TVA2: Como artista engajado no movimento cultural da cidade e da região, você está satisfeito com o momento cultural em Tuparetama e no Pajeu?
Lima Junior: A cultura da nossa cidade sobrevive, porque tem artistas persistentes. Não existe incentivos concretos como um Fundo destinado à cultura, por exemplo, como acontece em outras cidades. Em alguns municípios, inclusive do Pajeú, existem leis aprovadas por Câmaras de Vereadores com incentivos à cultura. No caso de escritores dessas cidades, uma grande quantidade de seus livros é adquirida a cada edição, para distribuição em bibliotecas e escolas públicas, isso não acontece aqui. Assim como no caso de livros há também incentivos para gravações de CDs e atenção aos mais diversos segmentos culturais, como grupos de música, teatro, dança... Aqui em Tuparetama temos algumas exceções como o grupo organizador do Balaio Cultural que se faz valer, e tem de qualquer forma um apoio da prefeitura somado ao do comércio local.

TVA2: Você não acha que falta um representante da classe dos artistas na câmara de vereadores?
Lima Junior: Acho sim, a classe artística precisa ter um representante naquela Casa, independente de sigla partidária, desde que seja uma pessoa realmente comprometida com a cultura e incorruptível.

TVA2: Você já pensou ou pensa em ser candidato?
Lima Junior: Minha resposta é não, Tárcio. Eu não tenho pretensões políticas. Entendo que minha maneira de contribuir politicamente é com as ideias para ajudar na valorização e divulgação do nosso município social e culturalmente.

TVA2: Seu amigo e grande poeta Valdir Teles foi candidato a vereador na eleição passada, esperando contar com o apoio dos artistas. Seria um bom representante da categoria na câmara. Por que você acha que ele não conseguiu se eleger? Você o aconselharia a ser candidato novamente?
Lima Junior: Valdir Teles é um grande cidadão e exímio repentista, tenho-lhe grande respeito e nós nos damos muito bem. Nossas divergências até hoje ficaram somente no campo político. Eu tenho certeza que Valdir seria um bom representante para a classe, pois conheço suas ideias. Sabemos o que ele poderia ter feito pela cultura e o que poderia trazer para este município como Secretário de Cultura, porém não deixaram ele ser o Secretário que poderia ter sido, ele não teve o apoio e os recursos necessários. E o motivo de Valdir não ter sido eleito não é segredo pra ninguém: os seus colegas de palanque não “permitiram”... Ele sabe com quem e com o que lidou, não é bobo de entrar novamente, não precisa disso e a arte agradece.

TVA2: Você sempre morou no Bairro Bom Jesus. Falta um representante “oficial” deste bairro na câmara?
Lima Junior: Realmente não conheço requerimentos e/ou projetos dos vereadores do município em defesa deste bairro. O bairro já recebeu muitas obras, mas o que estou dizendo é que nada vi neste bairro que tenha sido requerido por algum vereador, mesmo daqueles que residem aqui.

TVA2: Esse Bairro não seria capaz de indicar candidatos e elegê-los na próxima campanha? Quem são, a seu ver, as lideranças naturais do  Bom Jesus?
Lima Junior: Já tivemos pessoas do Bairro Bom Jesus, pessoas que considero inteligentes e capazes, que foram candidatos, mas um cargo de vereador nesta cidade “custa” caro. Eu poderia citar meia dúzia de lideranças comunitárias desta área da cidade, mesmo que em grupos políticos distintos, mas nem sei se querem ser candidatos e se tem condições financeiras para isso, então prefiro que os mesmos se coloquem a disposição do povo, como candidatos.

TVA2: E por que você “lançou” a candidatura de Cão?
Lima Junior: (rindo) Sivaldo ou “O Cão”, como é conhecido, é uma figura folclórica da cidade. O próprio nome dele já deu o mote engraçado da campanha: “Tenha fé em Deus e vote no Cão”. Foi só uma brincadeira de internet. É uma forma de chamar a atenção para que as pessoas comecem a pensar em seus candidatos, pensar que o registro de um candidato é coisa séria. Também dá pra gente discutir nossos preconceitos, sobre quem “pode” e quem “não pode” ser candidato. Por que, afinal, o Cão não pode ser candidato? Claro que poderia ser, mas sabemos que não será.... e se fosse, os seus votos seriam votos de “protesto” né não?

TVA2: Você já fez várias músicas e poesias para candidatos nas eleições anteriores. Você recebeu dinheiro por esse tipo de trabalho?
Lima Junior: Sim fiz músicas, paródias, repentes para candidatos nas eleições anteriores. Não lembro os valores, mas alguns me pagaram pelo serviço. Lembro também que recusei encomendas por não aceitar determinados candidatos.

TVA2: Ainda lembra de algum verso que você fez e gostou? Como era?
Lima Junior: Lembro sim, e creio que quem foi “citado” nos versos deve lembrar ainda mais, mas são águas passadas...não vou reacender essas provocações agora não!

TVA2: A seu ver quem dos pré-candidatos (Romero Perazzo, Deva Pessoa, Joel Gomes, Valmir Tunu) seria melhor para a cultura?
Lima Junior: Ah, isso é realmente algo difícil de se avaliar neste momento. O que eu sei é que eles sempre frequentam eventos culturais na cidade, então isso já é algo positivo. Quero deixar claro que o mais importante é respeitar a livre escolha de cada eleitor. Afinal como diz meu amigo Júnior Honorato: “Uns votam por convicção, outros por conveniência”!

TVA2: Então vamos melhorar a pergunta anterior. O que o próximo prefeito deveria fazer pela arte e cultura do município?
Lima Junior: O mais importante é escolher um bom secretário ou secretária de cultura, alguém que seja da área, com apoio da categoria, e dar crédito e autonomia a esse Secretário de Cultura, atento a necessidade de tornar esta cidade um centro de cultura nesta região.

TVA2: Você é uma pessoa apaixonada por esta terra, por Tuparetama. Aliás você tem um livro de poesias sobre Tuparetama. Quais suas expectativas para o cinquentenário de nosso município?
Lima Junior: Todas e as melhores possíveis! Gostaria que houvesse uma trégua política neste período, em favor do cinquentenário do município, no qual não nasci mas que amo! Espero que nas comemorações seja dado o devido valor de cada pessoa que trabalhou e somou para o crescimento do município. Estou torcendo para que se celebre uma festa digna desta comunidade tão “família” que é Tuparetama.

TVA2: Que homenagem você gostaria de fazer ou vai fazer ao município nesta data?
Lima Junior: Já fiz inúmeras, tenho por exemplo um poema entitulado: “Encantos da minha Terra”, que está no meu livro Cara e Coroa. Farei minhas homenagens de acordo com o que me for possível e permitido fazer. Estou à disposição para colaborar!

TVA2: Quais são seus planos literários para este ano de 2012?
Lima Junior: Por enquanto estou empenhado na divulgação deste trabalho recém lançado, o livro Cara e Coroa, com lançamentos em Recife e também em Tabira, São José do Belmonte e noutras cidades desta região com as quais estou confirmando datas.

TVA2: Como estão as vendas do livro CARA e COROA?
Lima Junior: Olha Tárcio tenho recebido bastante pedidos pela internet, de regiões distintas do Brasil como Norte e Sudeste.

TVA2: Como podem ser adquiridos este livro e os outros seus livros anteriores?
Lima Junior: Diretamente comigo ou através da minha página no Facebook . Também com o radialista e poeta Josa Rabelo e no Sebo Cultural em São José do Egito. []

19.2.12

E A RECUPERAÇÃO DAS NOSSAS ESTRADAS, UM ANO DEPOIS?

Há um ano as estradas do interior de Pernambuco estavam praticamente intransitáveis e pioraram depois das chuvas comuns no primeiro trimestre. 
A situação chegou a ficar tão crítica, com aumento de acidentes e facilitação de assaltos, sem que o Governo Estadual tomasse nenhuma iniciativa, que políticos da região começaram a protestar e exigir ação do Estado. Foi o caso dos vereadores e motoristas de Tuparetama, prejudicados pela tábua de furos em que se tornou a PE-275 (veja fotos do blog), que liga a cidade à Sertânia e São José do Egito. 

Após muita pressão o Secretário de Transportes do Estado, Isaltino Nascimento, (sim, o que foi  pego recentemente em blitz da Lei Seca!) prometeu recuperação e reconstrução total de alguns trechos das nossas estradas para depois de agosto de 2011.

Não consegui averiguar quanto se gastou até agora com a recuperação prometida, mas pelo tipo de serviço executado e pelos resultados, imagino que foi um contrato de baixo custo.  Veja acima e abaixo as fotos que fiz esta semana de vários trechos da PE-275 -Tuparetama a São José do Egito.  Muitos remendos mal-feitos e tapa-buracos visivelmente improvisados, que provavelmente não resistirão a temporada de chuvas deste ano. Pior, a marcação do asfalto não foi feita, a estrada continua sem sinalização (há 10 curvas perigosas neste trecho de 18 km), falta de acostamento, falta de acabamento...


Só para ilustrar melhor a vergonha dos serviços públicos que recebemos e aceitamos sem reclamar, sem fiscalizar, sem punir, por isso tudo continua como está...coloco abaixo, para efeito de comparação, algumas fotos da recuperação de estradas destruídas pelo tsunami de 2011 lá no Japão. São do blog de Nei KS 




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...