¹

11.3.12

ENTREVISTA COM ELÍZIO NETO: "Quem duvida da minha seriedade política vai quebrar a cara! "

Elizio Neto é o mais jovem dos que se apresentam como pré-candidatos a vereador para as eleições deste ano. Com apenas 23 anos e filiado ao Partido Progressista (PP), nasceu e cresceu na zona rural de Tuparetama, vindo residir na cidade somente na adolescência, para cursar o Normal Médio (Magistério). Atualmente trabalha no setor de Licitações da Prefeitura Municipal, exercendo o cargo de Pregoeiro. Festeiro, engraçado, talentoso, ousado... são muitos os adjetivos que acompanham a fama de Elizio em Tuparetama. Uma delas é a de falar o que pensa, sem medo de provocar “terremotos”. Quando começamos esta entrevista ele foi logo avisando: “Eu quero botar pra quebrar, ao contrário dos outros entrevistados anteriores que usaram de muita diplomacia”.


TVA2: Elizio, como você foi parar no Partido Progressista? Lembro-me bem de você à frente da JUVENTUDE do PTB naquele congresso do partido realizado em 2011 aqui em Tuparetama.
Elizio: É, no ano passado eu ainda estava no PTB, mas não era filiado. Foi Sávio Torres que me convidou para organizar o grupo da JUVENTUDE PTB e incentivar a filiação de jovens no partido. No encontro do PTB realizado no Centro José Rabelo conseguimos destacar nossa presença, com um grande número de jovens. Fomos elogiados publicamente e tal. Eu fiquei muito satisfeito com o resultado da mobilização. Foi uma forma de mostrar que eu tinha poder de atrair e unir a juventude.

TVA2: E então, com o sucesso de sua missão por que você resolveu sair do PTB?
Elizio: Eu me dei conta de que não estava sendo visto com bons olhos por algumas pessoas do PTB. A postura e o discurso do presidente do partido, o vereador Tanta divergiam em muitos pontos dos meus ideais. Nossas idéias e nossos gênios não se batem. Ou seja, para ser mais claro, eu me senti obrigado a me afastar do PTB por não gostar da maneira que estava sendo tratado por Tanta. Eu me senti subestimado e quando falei que tinha a pretensão de ser candidato a vereador, fui ironizado. Como Tanta é evangélico eu acho que no meu caso ele tem preconceito em relação a minha orientação sexual.

TVA2: Você é muito brincalhão, eu mesmo não levei a sério quando você me disse que seria candidato a vereador. Pode ter sido essa mesma reação a de Tanta e de outros dentro do PTB.
Elizio: Sim, para algumas pessoas ainda parece ser mais uma brincadeira minha, mais uma provocação de Elízio Louco. Mas a nível de partido eu deixei bem claro que havia interesse meu em ser candidato.

TVA2: O que te levou ou te leva a insistir nessa ideia e se colocar como pré-candidato a vereador?
Elizio: A idéia começou a tomar corpo exatamente durante o trabalho de organização do grupo JUVENTUDE PTB. Nas conversas com meus amigos e colegas jovens percebi o interesse das pessoas nesta minha faixa etária de um político que represente as necessidades, sonhos e motivações da juventude local.

TVA2: Aí o próprio PTB cortou suas asas...
Elízio: (rindo) É... não fui levado a sério. Mas recebi o convite de outros partidos para me filiar, convite do PT, do PCdoB e do PP.

TVA2: Como foi a decisão de ir para o PP? É o partido do vice-prefeito Romero Perazzo, não é?
Elízio: Foi o próprio Romero que me convidou. Ele foi o mais sério, o mais direto e o mais objetivo. Já veio a mim consciente do meu projeto político e se colocando a disposição para me apoiar nesse objetivo. O PT e o PCdoB também não se opuseram a minha idéia de ser pré-candidato, mas eu preferi o PP porque acho o PT local um partido muito difícil, tem muitos conflitos internos, muitas confusões e o PCdoB de Ivai Cavalcante já tem o próprio Ivai como provável candidato. Já no caso do PP por enquanto eu sou o único pré-candidato. Posso afirmar que me sinto bem acolhido no partido. Ele me dá credibilidade e espaço para crescer. Eu sinto necessidade de me expressar, mostrar idéias e de contar com uma estrutura política para realizá-las.

TVA2: Bem, pelo visto eu não preciso nem perguntar qual sua preferência entre os dois nomes mais cotados para candidatos a prefeito pelo grupo da situação...
Elizio: Na verdade Tárcio eu tenho muita afinidade com os dois, já que gente trabalha na mesma gestão municipal. Eu acho Romero Perazzo um político competente e capaz, tenho certeza que se for candidato e se for eleito tem toda condição técnica e intelectual de fazer um grande governo. Mas também acho Valmir Tunu uma pessoa muito responsável e experiente, um secretário municipal de destaque, é o tipo de pessoa que a gente sabe que pode contar com ele sempre que precisar e isso é um ponto positivo para quem quer ser candidato, não é? Cada um deles tem suas qualidades e seus defeitos, não dá pra comparar porque eles dois são muito diferentes no modo de ser e de agir.

TVA2: Você foi uma das pessoas que se envolveu de corpo e alma na campanha eleitoral de 2008. Quando me lembro das passeatas e arrastões do candidato Sávio Torres passando aqui na rua, em frente a minha casa, sempre me vem à mente a imagem sua à frente da multidão, com alguma coisa diferente para chamar a atenção e provocar os adversários. Esse Elizio ainda existe e está pronto para fazer o mesmo pelos candidatos deste ano, ou você mudou?
Elizio: É verdade, eu me expus muito na campanha de Sávio Torres. Não é todo mundo que tem a coragem e a disposição de se expor como eu numa batalha política. Mas eu não me arrependo do que fiz, hoje eu avalio positivamente, tudo valeu a pena, minhas expectativas foram atendidas. Agora eu já vejo a política partidária com outro olhar, mais experiente. O que está prevalecendo em nossa política são as conveniências pessoais, os interesses particulares. O que percebo em muitos políticos e pré-candidatos é um pensamento do tipo “1º eu, depois o povo”.

TVA2: Isso quer dizer que não teremos aqueles shows de Elizio na campanha deste ano?
Elizio: Bem, se eu registrar minha candidatura teremos um candidato com muita garra nas ruas. Se houver necessidade da parte dos candidatos majoritários (prefeito e vice) eu poderei me doar como fiz antes na campanha, sim. Talvez com menos intensidade, pois muito do que fiz anteriormente não foi por causa de partidos, foi pelo candidato, pela pessoa de Sávio Torres. Eu estaria sendo hipócrita, como muitos são, se dissesse que faria exatamente o mesmo por outro candidato, seja quem for.

TVA2: Você está afirmando que há hipócritas no meio político de Tuparetama?
Elízio: É o que mais há. Muita hipocrisia, muita babação de ovo, muita falsidade. Por exemplo, para agradar fingem que está tudo bem, que não temos falhas ou problemas no município e nos partidos da situação, mas nada na vida é 100%, sempre há o que melhorar e o que está bom pode ser ainda aperfeiçoado.

TVA2: E o que é que precisa ser melhorado no município?
Elízio: Eu posso falar em relação aos segmentos com os quais estou envolvido, como cultura, turismo e eventos, juventude e direitos humanos, mas quando falo em hipocrisia estou me colocando contra o discurso hipócrita daqueles políticos do nosso grupo que, por exemplo, em vez de apresentarem propostas só sabem abrir a boca para meter o pau em quem não está conosco, repetindo a todo momento aquela conversa de que “fulano não fez nada” etc. e tal. Eu vou sempre combater essa postura, esse tipo de político que não tem ideias, só tem a cabeça de “martelo”, pra bater.

TVA2: Você vai criticar os discursos dos seus colegas de palanque?
Elízio: Como cidadão ou como candidato, vou sempre criticar essa postura onde ela se manifestar, até mesmo no palanque do meu grupo. O nível dos discursos que a gente percebe, não só durante as campanhas, mas também nas reuniões e eventos da prefeitura como inaugurações, é lamentável, quando os políticos não sobem bêbados nos palanques, sobem somente para dizer bobagens ou fazer bajulações.

TVA2: Você se sente confortável para receber críticas também? Muitas pessoas não aceitam sua orientação sexual por exemplo. Embora isso não tenha nada a ver com capacidade de trabalho, as pessoas terminam misturando vida política com vida pessoal... você mesmo citou um exemplo de discriminação dentro do PTB local.
Elízio: Eu não faço nada pensando em agradar A ou B, não vou fingir ser a pessoa que não sou só porque fulaninho aprova ou desaprova. O que eu quero é ser sempre coerente, verdadeiro acima de tudo. Não vou mudar meu jeito de ser e de agir só por causa da política. Agora é como diz aquele ditado, “quem tá na chuva é pra se molhar”. Se eu for mesmo candidato, que venham as pedradas, mas que venham também as flores e os abraços!

Auto de Natal dirigido por Elízio, com jovens do GPC
TVA2: Você faz parte da Comissão Municipal da Juventude e recentemente você representou o município na Conferência Nacional da Juventude. Quais são as políticas públicas para a juventude, em Tuparetama?
Elízio: Acho que há pouca coisa feita, tanto a nível municipal quanto estadual e nacional. A nível municipal talvez a principal dificuldade seja a questão financeira, a prefeitura é carente de recursos. Temos alguns programas sociais implantados com apoio de recursos estaduais e federais como o Pro-Jovem, o Centro da Juventude e a Casa das Juventudes, mas esses programas tem uma abrangência bem limitada, atendem um pequeno número de jovens. Agora eu preciso dizer que há uma grande boa vontade do gestor Sávio Torres com esta parcela da comunidade. No meu caso em particular posso afirmar que sempre que fizemos solicitações a ele, como ajuda de custos para viagens, eventos e reuniões, ele nos atendeu.

TVA2: Não falta uma Secretaria das Juventudes no município?
Elízio: Talvez. Seria bom, desde que funcionasse de fato. Algumas secretarias municipais deixam muito a desejar ou por falta de estrutura e de pessoas capacitadas ou por falta de autonomia. Em matéria de secretaria municipal eu dou destaque somente à secretária Andrezza, da Saúde. É ela quem merece meus aplausos, faz um trabalho excelente.

Elizio com o vocalista de Garota Safada, atração da festa de 11 de abril. 
TVA2: Um segmento com o qual você tem ligação é a cultura. Ela entra nesta sua lista de secretarias que deixam a atuação a desejar?
Elizio: Com certeza. Não existe uma Secretaria de Cultura de fato. Quero dizer, não existe um “trabalho de secretaria” de fato, uma atuação mais forte. Coitado de Ivai Cavalcante, ele pode ter boa vontade mas não vai conseguir fazer nada de nada na cultura. Não dá mais para fazer nada neste ano. Também não existe em Tuparetama esse negócio de “movimento cultural” que é um termo que você mesmo Tárcio gosta muito de usar. Movimento é outra coisa diferente do que temos aqui. Movimento é união, é grupo, é força, é poder, é organização. O que existe de cultura em Tuparetama são alguns “agrupamentos” isolados conseguem levar a cultura adiante.

TVA2: O que você vê de positivo na cultura?
Elízio: Há algumas ações importantes de apoio e de colaboração como as bandas de música, as festas tradicionais e o Balaio Cultural. Mas muitas manifestações e muitos valores da cultura do município acabaram não tendo continuidade. Novamente seria hipocrisia dizer que o que temos é mérito dessa administração. O mérito é dos artistas. A prefeitura procura apoiar, mas falta um secretário que alavanque, crie, incentive, agite a diversidade cultural que Tuparetama tem.

TVA2: O Balaio Cultural é uma prova dessa diversidade, não?
Elízio: Eu também tenho minhas ressalvas com o Balaio. Não restam dúvidas que é um evento de sucesso, bem organizado, encaixou-se perfeitamente naquele espaço público que estava ocioso, mas o Balaio não tem a cara dos artistas de Tuparetama, a gente percebe que não tem o envolvimento de todos os artistas. O Balaio tem a cara de um artista somente, que queira ou não, acaba se autopromovendo e aparecendo mais do que os outros. Isso é ruim para os demais artistas e não ajuda a fortalecer a cultura. Não sei qual é o problema, mas sei que todas as pessoas que estavam na organização do Balaio no início acabaram se afastando. Então tem problemas, talvez falte diálogo, respeito, talvez falte considerar o trabalho, o talento e as opiniões dos outros artistas... talvez seja por aí. Então, pelo próprio Balaio Cultural, que é um evento de sucesso, a gente tem uma ideia de como é complicado o trabalho cultural no município.

TVA2: Você desistiu da ideia de realizar uma Parada Gay em Tuparetama?
Elízio: No momento eu acho que Tuparetama não precisa nem comporta este tipo de evento. Podemos dizer que o povo até que respeita os gays da cidade, não vejo tanto preconceito nem violência contra o segmento LGBT. Aqui e acolá tem um comentário maldoso, uma frase homofóbica, mas felizmente não há agressão, violência física, essas coisas. Quando eu dizia que ia fazer uma parada gay na verdade estava de brincadeira, fazendo provocação. A nossa região já tem a parada gay, que acontece em Serra Talhada. Agora não posso deixar de dizer que sinto falta, em Tuparetama, de alguns eventos direcionados para o grupo LGBT, de artistas que atendam ao gosto deste público, chega de só ter sanfona nas festas! Tem festa para vaqueiro, festa para motociclista, festa para evangélicos, não falta festa para a turma mais animada do mundo? Claro!

TVA2: E quanto aos outros eventos do município? Você já esteve bastante envolvido com eles. O que houve para você ficar afastado agora?
Elizio: Realmente quem fez, por exemplo, o São Pedro de 2008, que fomos nós, agora se sente impossibilitado de fazer outra festa melhor ou tão grande quanto aquela! Eu me encontro afastado da organização dos eventos atuais por causa do meu trabalho atual, que consome muito tempo e exige muita dedicação. Antes eu estava a disposição do CRAS e da Secretaria de Cultura, então era mais fácil ficar de dentro das promoções dos eventos. Mas Tuparetama sempre faz grandes eventos, é uma marca da cidade e desta gestão de Sávio Torres. Eu só discordo do processo de escolha de bandas e atrações para estes eventos, acho que é preciso ouvir a opinião das pessoas em geral, da população, procurar atender a todos os gostos e não trazer somente um estilo de música, um mesmo estilo de banda. Falta esse tipo de abertura democrática que iria envolver muito mais a comunidade na realização das festas. Por sinal eu acho que o próprio secretário de Cultura e Turismo da cidade é sempre o último a saber sobre quais bandas e artistas irão se apresentar nas festas.

Banner do Bloco Disponível, organizado por Elízio
TVA2: Quais são suas expectativas para as festividades do cinquentenário?
Elízio: Minhas expectativas são as melhores possíveis! Tuparetama já recebeu seu presente de aniversário, que são as obras de infraestrutura, saneamento e embelezamento da cidade. Nossa cidade é um verdadeiro canteiro de obras! Então entendo que essa é a melhor comemoração dos 50 anos. Quanto aos eventos, as festas que serão realizadas em abril, estou torcendo para que realmente fique registrado na história!

TVA2: Se você efetivar sua candidatura a vereador, vai fazer campanha como representante da população gay?
Elízio: Não acho que devemos segmentar ou rotular um candidato ou uma campanha. O candidato deve se colocar como representante de toda a comunidade e defensor dos direitos de todos. O importante a meu ver é não banalizar o assunto, não tratar esse tema como uma coisa engraçada ou marginal. O respeito ao ser humano é o mais importante.

TVA2: Você acha que falta uma organização, um tipo de movimento gay na cidade, a exemplo do que acontece em Tabira? Seria uma forma de empoderar esse grupo e pressionar politicamente por ações favoráveis.
Elízio: Não, não acho necessário não, pelo menos por enquanto. Mas acho que falta um representante gay nas secretarias municipais, alguém com essa visão de mundo.

TVA2: E não já tem não? (risos)
Elízio: (rindo) Se tem é enrustido ou enrustida.... então não representa a categoria.

TVA2: Por falar em enrustidos, você disse certa vez que se todos os gays enrustidos de Tuparetama votassem em você, teria votos suficientes para se eleger a prefeito.
Elízio: (rindo) Com certeza, né?

TVA2: O que você espera do próximo prefeito ou prefeita de Tuparetama?
Elízio: Que o próximo gestor não se deixe prender ou alienar por acordos políticos de interesses privados, que possa escolher seus auxiliares e sua equipe de governo com pessoas realmente capacitadas, atendendo também aos diversos segmentos da comunidade.

TVA2: Qual seu recado final?
Elízio: Aos que dão risadas das minhas iniciativas e dos meus projetos políticos, que sejam mais autênticos e honestos consigo mesmo. Se não tem coragem de dar a cara à tapa, que se coloquem na campanha política ou coloquem representantes das suas ideias. Afinal criticar minhas posturas é muito fácil, difícil é fazer como eu faço, brigar por um espaço para exercer meu direito a vez e a voz. Quem duvida de Elízio, que aguarde só o meu primeiro discurso e minhas propostas! []

14 comentários:

Francineide Lima disse...

Parabéns pela sua postura, Elízio! Estamos precisando de vereadores na Câmara que não represente A ou B, mas que seja comprometido com os interesses de toda a cidade. Infelizmente, na política de nossa cidade, só se vêem defeitos de adversários e qualidades de membros de seu grupo. E não é assim a realidade, todos, independente de qualquer partido, possuem seus defeitos e qualidades, saibamos então, olhar os dois, e não somente o que nos interessa. Espero que continues assim, defendendo seus próprios ideais e agindo em benefício de toda cidade, não de uma minoria.

Dennis Nascimento disse...

Menino, arrebentou a boca do balão, amigo. Uma entrevista muito bem feita com respostas muito bem dadas. Concordo com bastante coisa que você falou e assino em baixo.

Diana Athenas disse...

Rapaz, se alguém criticar essa entrevista, eu desisto de Tuparetama!

Nunca vi um candidato em Tuparetama com uma postura tão clara, objetiva e bem fundamentada como Elízio! Isso sim é que é ser representante jovem, não é como uns e outros oportunistas que reivindicam essa alcunha...

\o/ Elízio para Prefeito \o/

Ser candidato é isso: é por o interesse do povo acima das relações pessoais, profissionais e partidárias!
É ter ideais e se unir a outros que lutam por um mesmo fim.
É querer agir em prol da comunidade e não se tornar refém de oligarquias e chauvinistas.

Se ele realmente compartilha das opiniões que compartilhou nessa entrevista (e acredito que sim!), está de parabéns e é um exemplo a ser seguido!

Uma pena não existirem mais pessoas assim na "peleja" eleitoral! O que vemos são bons candidatos realizarem alianças infelizes, para não dizer obscenas! O próprio prefeito Sávio é um exemplo disso, pois que é uma ótima pessoa, um administrador nato, polido e visionário, mas refém da podridão de seus secretários (alguns se salvam!) e de sua base aliada!

Ronaldo Vila Bom Jesus disse...

Quem esse Elizio pensa que é para criticar os vereadores que bebem muito, ele bebe mais que eles em toda festa fica bebâdo

thayse gomes disse...

Eu so tenho q parabenizar a esse jovem pelo a sua entrevista tuparetama precisa d representantes assim como ele claro e objetivo...

Ivaí Cavalcante disse...

Parabéns meu Caro amigo Elizio concordo com tudo , pela entrevista isso mostra que os novos candidatos assim como você, Danilo, Ivaí, que também são pré-candidatos podem ser as caras novas em 2012,mas também temos outros nomes que irão aparecer, e a população de Tuparetama vai analisar a cada um. Chega de políticos que chegam e depois que ganham somem. Mas podem ter certeza que irão aparecer em 2012, principalmente no esporte.

Antônio José Xavier (Apolo) disse...

-A mim os posicionamentos de Elízio não me surpreendem pois já somos amigos de longas datas e acompanho de perto seu interesse e boa vontade em contribuir com a juventude, cultura e turismo de Tuparetama. Uma pessoa autêntica, criativa, irreverente, talentosa e solícita. Agora eu me pergunto: É esse tipo de perfil político que agrada aos "políticos" ou serão melhores os que apenas fingem ser o que nunca forão? É preciso urgentemente refletir sobre o que é de fato ter opinião própria, e nesse quesito meu amigo elízio é nota 10! Ah, e para os que costumam rebater as críticas com ataques pessoais, vou deixar um recado como eleitor - Aprendam que defesa não é calúnia e que coragem não é agressão - Parabéns pela coragem e determinação Elízio, torço por você amigo!

pedrooo disse...

elizio é boca quente.... e a peça do gpc ele num fez nada so sabia manda com aquela pena quebrada denis que fez alguma coisa mas tambeim so sabia grita com a pobe de mariana irma de paulin. kkkkkk dissero q elizio deu um escadalu na festa pra tira uma foto com ueslei safadaaaao


voto em vc elizioooooooo

Josa Rabêlo disse...

Muito boa a entrevista de Elízio, mas aproveito o ensejo para perguntar:
Como ele, Elízio e os demais farão para acabar com um artigo do Regimento Interno da Câmara, onde só se pode expressar quem se inscrever uma semana antes. Câmara de vereadores é a casa do povo, uma casa aberta ao dialogar, às discursões, dentro da ética e dorespeito e não um Clube do bolinha, onde poucos tem direito a vez e voz!
Parabéns Elízio, não perca esses ideais.
sds>: Poéticas Pajeuzeiras

Ronaldo Brissant disse...

Elízio, vou tranferir meu título para a Terra de Tupã, só para votar em você!

Anônimo disse...

Josa frequenta mais as reuniões que ai vc vai saber que basta só vc se escrever anteriormente para ir para a tribuna agora se vc nunca vai ai me perdoe.quantas vezes nas reuniões só estão presentes Manoel de Cosminha,Fafa,Cavalo velho,Alisson e José Eudes.

Anônimo disse...

Esse e Diógenes Patriota chegarão lá...

tô orando por vocês.

Rosagela disse...

Tuparetama.... Tuparetama. A política se tornando cada vez mais uma piada... e de muito mal gosto!

Anônimo disse...

É preciso auto-disciplina interior, maturidade intelectual, seriedade moral, senso de dignidade e de responsabilidade, todo um renascimento interior do proletário. Com homens preguiçosos, levianos, egoístas, irrefletidos e indiferentes não se pode realizar o socialismo, Tuparetama e seus eleitores precisão disto. Piada? Só para analfabetos sem opinão nem si quer força de expressão. abraços Elizio Neto

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...