¹

26.4.12

DE OLHO NAS ELEIÇÕES 2012: " A PRIMAVERA PAJEUZEIRA" - MARIANA TELES COMENTA OS COMENTÁRIOS SOBRE NOSSA POLÍTICA


AS REDES SOCIAIS E OS BLOGS NO CONTEXTO POLÍTICO DE TUPARETAMA. "A PRIMAVERA PAJEUZEIRA"

Depois das comemorações do nosso cinquentenário e do adiamento do anúncio do candidato indicado pelo atual prefeito Sávio Torres se acentuaram as manifestações de eleitores e políticos nas redes sociais dos tuparetamenses. 

Se antes, os comícios e as conversas de calçadas já tomavam o cotidiano da política como principal assunto das palestras de boca de rua, agora a face é outra mas a moeda continua a mesma. De fato, a participação do cidadão nunca foi tão atuante como agora, opina, vota em enquetes, comenta no Facebook e nos blogs, fazendo uso democrático do meio e procurando fortalecer a cidadania. No entanto a forma como o vem sendo feito é que ainda deixa a desejar, como por exemplo quando usa o anonimato (muitas vezes covarde) nos comentários deste blog.

Ha troca de acusações de um lado e de outro (ainda existem dois lados na política de Tuparetama?) e a insatisfação popular com a ''suposta'' união dos blocos Sávio-Vitalino viraram matérias de um atualizado jornal que mais parece folclórico que informativo. Sem cartazes ou guias eleitorais, eu diria que a campanha não está na rua, mas começou na tela. 

Será uma evolução no modo de como fazemos política ? Ou a afirmação do retrocesso mental de muitos? A internet que vem globalizando as idéias e disseminando as mais variadas formas de manifestações até que ponto vem contribuindo com o nosso processo? De um lado um critica, do outro alguém responde... E vamos nós acompanhando essa bola de neve que ou explodirá ou nos sufocará até 7 de outubro. 

Que não sejamos jovens observadores passivos desse processo, mas que fiquemos distantes da forma suja como a política é tratada e reduzida no nosso município. 

Os meios de comunicação são as formas mais viáveis de absorver e repassar informações. Precisa-se que sejam de fato informações e não tão somente repasses de boatos de esquinas ou de cogitações de corredores. Quando agem assim só atrasa-se e atrapalha-se o andar da carruagem ou das ''torres'' do nosso município. 

É gratificante ver educadores, poetas, estudantes e o cidadão de modo geral mais ativo nesse processo, no entanto é necessário cuidado com e como se defende cada argumento.  Vamos condenar todo uso de palavras pejorativas e das acusações pessoais. Que possamos afirmar nossa cidadania sem abrir mão dela.  O direito do homem não pode ser afirmado onde não há respeito.  

Mariana Teles é estudante de Direito e Poeta.  
Tuparetamense, 18 anos, reside atualmente em Recife, onde estuda. 


2 comentários:

Jacquielle Nóbrega disse...

O problema maior é a falta de informação e conhecimento por parte de alguns,quando reinvidicamos ou protestamos por algo ou alguma coisa que achamos errado, somos tachados de inoportunos, o desinteresse da maioria dos indivíduos pelos assuntos públicos é um dos grandes problemas políticos nas sociedades modernas. Os indivíduos são levados ao isolamento pelo predomínio de valores individualistas e de interesses estritamente particulares, Nesse contexto, perde-se o sentido do que é comunitário e não se percebe a importância da participação na vida coletiva. O bem público deixa de ser entendido como o bem produzido por todos para toda a sociedade; aparece como um bem que não pertence a ninguém e, por isso, pode ser depredado ou apropriado por qualquer um. Além disso, as formas de delegação do poder e a formação de um comportamento social unificado pela atuação dos meios de comunicação de massa contribuem para que a indiferença política se instale. Além dos que não participam por desconhecer o seu papel no processo político, há os indiferentes conscientes, aqueles que compreendem a situação, mas não toma partido e encaram a vida política com ceticismo, precisamos mudar essa forma de pensar e começarmos a pensar em política de fato como deve ser Política é coisa séria e não apenas para ser lembrada em períodos de eleições, onde somos praticamente obrigados a votar, senão sofreremos uma sanção. No entanto, todos os indivíduos são passíveis de análise política, pois, tal ciência perde validade se não expressar a preocupação de inserir todos os indivíduos no processo de construção da sociedade.

Rennielly Alves disse...

"A política... há muito tempo deixou de ser ciência do bom governo e, em vez disso, tornou-se arte da conquista e da conservação do poder."

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...