¹

18.9.12

A QUESTÃO DA FALTA DE ÁGUA EM SÃO JOSÉ DO EGITO E TUPARETAMA ESTÁ MAIS LIGADA À GESTÃO DO QUE À ESCASSEZ...

Em nota publicada nesta semana na sua página pessoal no Facebook, a professora e tuparetamense Jacquiele Nóbrega, aflita com a situação do desabastecimento de água na cidade e a falta de ação das autoridades locais e regionais, escreveu: 

"Os problemas relacionados ao abastecimento de água em nossa cidade, já começaram a aparecer há algum tempo e as perspectivas para o futuro não são nada animadoras. Nossa cidade é abastecida pela barragem do Rosário mas este abastecimento há muito tempo tem deixado a desejar e está se agravando cada vez mais. Percebe-se que a falta de planejamento urbano, dentre outras questões, continua passando ao largo das preocupações centrais das esferas políticas municipais. 

Vários especialistas da própria Compesa já sabiam que isso iria acontecer, mas nada puderam fazer pois estão subordinados aos seus gerentes e autoridades governamentais. 

Sabemos da necessidade de água que a cidade de São José do Egito vem enfrentado e nada mais justo que partilhar a água da nossa cidade, desde que essa não nos faltasse. Na minha residência há dias não chega uma só gota de água. 

A realidade é bem clara: a falta de água é um problema crônico que afeta a vida das pessoas em todos os níveis e de todas as formas. Quando ficamos sem água por apenas algumas horas nos descobrimos dependentes deste precioso líquido e percebemos como de fato ele integra todas as nossas atividades cotidianas. 

Peço encarecidamente as autoridades competentes que façam algo, pois trabalho em São José e mesmo sem água nunca ouvi falar que as pessoas ficassem desassistidas como nós estamos em Tuparetama  e sem ter a quem recorrer. Além disso, sem água não se vive. Um banho de seriedade e competência não faria nada mal!"

Vamos utilizar esta nota de Jacquiele para, de início, deixar bem nítido aos leitores que, até onde pude apurar, a maioria dos tuparetamenses reconhece a grave situação da falta de água para abastecimento na cidade de São José do Egito e está solidária com os vizinhos, pois já sentiu na própria pele problema semelhante, quando passou - por um longo período- a ser abastecida por carros-pipa. 

Também devemos deixar ciente que se reconhece o direito de todos a este bem precioso que é a água, e que assim como as cidades de Ingazeira, Iguaracy e Tuparetama, São José do Egito também tem direito ao consumo da água da barragem do Rosário neste período de estiagem. 

O problema meus caros é que na pressa em atender às necessidades de São José do Egito, estão penalizando os moradores de Tuparetama, ou seja, colocando em prática aquele ditado popular que diz "descobriu um santo para cobrir outro". 


Vamos entender o enredo dessa novela: 

1- São José do Egito entrou em colapso d’água. Os dois açudes que abastecem a cidade estão 100% secos e a população está sendo atendida, precariamente, por meios de carros-pipa. Esta situação não aconteceu "da noite para o dia". É um problema já alertado por várias autoridades locais e por muitos anos. Nem prefeitura nem Governo do Estado tomaram qualquer providência para evitar, a tempo, que se chegasse a tal situação tão crítica. 

2- Deflagrada a crise, por azar em ano eleitoral, deu-se a pressão política sobre o gestor municipal e deste sobre o Coronel Dudu, digo, o governador Eduardo Campos. 

3- É sabido que Eduardo Campos tem ambições políticas para daqui a 2 anos. Pressão vai, pressão vem, Eduardo garantiu a solução "apaga incêndio" - uma adutora da Barragem do Rosário para São José do Egito. Não há estudos técnicos que garantam que a barragem aguente por muito tempo essa solução... mas que fazer? Não há outra fonte ou não se quis investir  em outras soluções mais adequadas, embora mais demoradas ou mais caras. 

4- O tempo mínimo necessário para a conclusão da adutora Rosário-São José do Egito foi estipulado em 4 meses. É muito! gritaram as governanças da terra da poesia. O povo não aguenta esperar tanto e até lá as eleições já terão se passado. Prometeu-se água nas torneiras das casas antes do dia 7 de outubro! 

5- Dá-lhe pressão política em cima do governador Eduardo e de Eduardo em cima dos seus comandados da gerência da COMPESA e a segunda solução "apaga incêndio" encontrada, enquanto não se conclui 100% da adutora, foi interligar com a rede de abastecimento de Tuparetama. O diretor de operações da Compesa, Fernando Lobo, e a gerente regional Nadja garantiram em entrevista na Radio Liberdade FM, em final de julho, que a cidade de São José do Egito seria abastecida até setembro pelo sistema adutor do Rosário a partir de Tuparetama. Mas não se lembraram de- ou não puderam - garantir a melhoria do sistema adutor em Tuparetama, para que essa solução se desse sem prejuízo para as duas cidades. 

Concluindo... : O fato é que utilizar o sistema de Tuparetama para abastecer temporariamente São José do Egito não seria uma solução imoral nem injusta, se a rede de abastecimento de água de Tuparetama funcionasse integralmente e tivesse realmente capacidade para atender as duas cidades. Aceitaríamos sem temor o aumento do racionamento e ficaríamos de muito bom grado recebendo água apenas dois dias por semana para que nossa cidade-irmã também pudesse ser abastecida, mas não é isso que acontece/rá

Há muito tempo a gerência regonal da Compesa sabe que o sistema de abastecimento de Tuparetama é ultrapassado, limitado e sucateado. Que desde abril deste ano há ruas e bairros da cidade que chegam a ficar mais de 20 dias sem receber uma só gota de água. Como podem querer que este sistema atenda também a cidade de São José do Egito? 

Bem, o fato é que não só querem como estão fazendo isso. E o que mais nos tem incomodado é o silêncio... Tão fácil que é nos juntarmos em multidões nas carreatas e passeatas pela cidade nesses dias de campanha eleitoral. Tão difícil que é unir nossas forças na busca de melhores soluções políticas e gerencias para nossos velhos problemas.



5 comentários:

Paulo Sousa disse...

De parabéns Jacquiele por essa nota, e a vc Tarcio, quem vem contribuindo cada vez mais com os Tuparetamenses atraves de seu Blog, quando vc diz q o sistema é ultrapassado é verdade e continuam investindo em equipamentos obsoletos não acompanhando o que o mercado exige.

Hesdras Souto disse...

BRAVO! Excelentes palavras para uma realidade clara.

Marcos Vinicius disse...

Pois é meu Caro amigo Tarcio! Tuparetama vem sofrendo cada vez mais por falta de planejamento da Compesa e do Governo! Concordo com você!

Anônimo disse...

absurdamente verdadeiro. QUE COISA! Estamos falando da 6ª economia mundial com este tipo de problema...é de lascar!

Simão Pedro - Em Teresina-PI (Tuparetamense)

Anônimo disse...

Desprezo Federal em Relação à Seca Nordestina
Nosso Nordeste esta sendo castigado com uma das maiores secas dos últimos 30 anos, os habitantes da região afetada estão desesperados com essa situação caótica, muitos deles já perderam suas criações de animais e não sabem mais o que fazer.
Infelizmente esta estiagem não afetou somente os produtores rurais, mais os comércios locais das pequenas cidades também foram bastante afetados o movimento caiu muito deixando assim pessoas desempregadas, pois o pessoal do campo que e quem mais compra na cidade reduziu os gastos de sua própria alimentação para poder compra comida para seus animais.
Não podemos continuar nesta situação deplorável precisamos de ajuda dos nossos governantes para poder amenizar o sofrimento nordestino.
Mais acho que isso ainda vai demora a acontecer pois estamos em um pais onde o futebol e mais importante do que seres humanos que passam necessidade, o governo federal prefere libera recursos para construir estádios de futebol que só serão usados uma ou duas vezes e perderão a utilidade e fica de mão fechada em relação a uma situação que sempre teve no nordeste mais ninguém nunca tomou nem uma providencia para que quando houvesse a seca o povo já tivesse com alguma prevenção.
Esse e o “GOVERNO FEDERAL UM PAIS DE TODOS”
EJF

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...