¹

6.8.13

CONHEÇA AMANDA GACH, UMA JOVEM NORTE AMERICANA E SEU TRABALHO VOLUNTÁRIO NA ESCOLA ERNESTO DE SOUZA LEITE, EM TUPARETAMA


Amanda Gach (ao centro) com estudantes do 3º ano do Ensino Médio. Ele também deu aulas em várias turmas do Ensino Fundamental

TVA:  Amanda, Fale-nos sobre o projeto que você está realizando em Tuparetama, na Escola Ernesto. 
Amanda Gach: Esse é um projeto que visa a alfabetização (em língua inglesa) das crianças da Escola Ernesto. Primeiro eu pedi livros como doações na minha comunidade da igreja, dessa forma consegui arrecadar dezenas de livros infantis e juvenis e trouxe esses livros para o Brasil em duas malas cheias e os doei a biblioteca da Escola Ernesto. Estes livros estão me ajudando a ensinar inglês para os alunos, que é o principal objetivo do projeto. Eu vim passar três semanas dando aulas de inglês a algumas turmas da escola. 

TVA: Por que você escolheu Tuparetama? Que ligação você tem com nossa cidade? 
Amanda Gach: A minha mãe é brasileira, natural de Monteiro-PB, e morou por alguns anos aqui em Tuparetama, além disso, eu escolhi essa cidade porque muitos familiares meus ainda vivem aqui, entre eles estão a irmã da minha mãe, Tia Cida, que é professora da Escola Ernesto, também o irmão da minha avó, o tio Carlos e vários primos, os quais me ajudam muito com esse projeto. Eu já estive aqui outras duas vezes, a primeira eu não lembro muito, tinha apenas 3 anos, mas a segunda foi há 3 anos e eu me identifiquei muito com a cidade e com as pessoas, por isso decidi voltar e trazer meu projeto para Tuparetama. 


TVA: Como surgiu a idéia do projeto? 
Amanda Gach: A idéia partiu da minha mãe, ela teve essa ideia da última vez que estivemos em Tuparetama, durante uma conversa com a minha tia Cida. Ela achou que seria bom eu ensinar inglês na escola na qual a minha tia dá aulas, tanto pra eu ter experiência de vida quanto para melhorar meu currículo, já que o sistema de entrada em Universidades nos EUA é diferente do sistema brasileiro, la nós preparamos o nosso currículo ainda no Ensino Médio e os enviamos para as Universidades nas quais desejamos ingressar, e é pela analise desse currículo que as Universidades nos aceitam como estudantes.

TVA: Como foi a reação da sua comunidade com o seu projeto? Eles apoiaram, incentivaram? 
Amanda Gach: Quando eu pedi os livros eles se dispuseram de imediato a consegui-los para mim, teve até um casal que encontrou livros pra vender por apenas 1,00 USD e comprou vários para doar. Além dos livros eu também tive a ajuda de uma vizinha que é professora de uma escola para crianças e ela me forneceu um material muito bom para trabalhar com as crianças brasileiras. Enfim, minha comunidade me ajudou muito nesse projeto, eles me deram muita força. 

TVA: Como esta sendo sua passagem por Tuparetama? O que você esta achando da cidade, das pessoas, da cultura local? 
Amanda Gach: Estou gostando muito daqui, eu reencontrei muitas pessoas que há tempos não via, mas o que mais me chama atenção é a proximidade de todos, aqui todo mundo se conhece, é bem diferente da minha cidade, onde eu não conheço nem todos os meus vizinhos. Outra coisa que me contagia é a felicidade de todos, amo a felicidade dos brasileiros. Quanto a cultura, eu estive com meus primos em uma vaquejada (eles são vaqueiros), até andei a cavalo, isso é bem diferente da minha realidade, mas confesso que tive um pouco de pena dos bois, eu falei isso pros meus primos e eles riram de mim. 

TVA: Como é o nome da Cidade onde você mora? Que diferenças existem entre lá e cá? 
Amanda Gach: Eu moro em Troy, no estado de Michigan, fica próximo da cidade de Detroit e também do Canadá. A primeira diferença que eu pude notar foi quanto as casas, aqui as casas são unidas, já em Troy elas são bem grandes e separadas, também são afastadas do centro comercial e por isso quando eu preciso comprar qualquer coisa eu tenho que ir de carro. Depois pude notar outras diferenças, como o fato de todos se conhecerem, como eu já falei anteriormente.


TVA: Como é a vida de uma jovem americana da sua idade? 
Amanda Gach: Eu tenho 17 anos, e nessa idade a maioria dos jovens está cursando o 12th grade, no High School, aqui no Brasil isso corresponde ao 3º Ensino Médio, é nessa fase da vida que os jovens americanos se inscrevem nas universidades, e eu tenho estudado bastante para conseguir uma vaga no curso de Relações Internacionais. Bom, além da escola eu faço aula de piano e toco em uma orquestra, a maioria dos jovens da minha idade sabe tocar algum instrumento ou canta porque isso é obrigatório na escola. Também faço parte de clubes de esportes e frequento a minha igreja. No tempo livre eu encontro meus amigos para conversar, ouvir música, essas coisas de adolescentes [risadas]. Já nas férias muitas famílias viajam ou acampam e isso é muito divertido.

TVA: Você pretende voltar mais vezes para Tuparetama? Já tem outras ideias em mente? 
Amanda Gach: Eu pretendo voltar sim, gostei muito da cidade, e quero encontrar outras vezes os meus familiares que vivem aqui. Por enquanto ainda não tenho outras ideias em mente, mas alguns alunos já pediram pra que eu volte pra dar mais aulas de inglês, talvez eu faça isso nos próximos anos.

TVA: Conte-nos suas impressões sobre esta experiência com Alunos e Professores da Escola Ernesto
Amanda Gach: Essa experiência foi muito boa e proveitosa, mas achei que passou muito rápido, queria ter tido mais tempo com os alunos e também com os professores, eu também aprendi muito nesse tempo com os alunos, pude melhorar o meu português conversando com eles e ouvir experiências de vida. Estou muito feliz por haver ajudado essas pessoas e sentir a gratidão delas é muito gratificante para mim, só tenho a agradecer pela forma carinhosa como fui recebida por todos que fazem a Escola Ernesto.











Um comentário:

Anônimo disse...

Mais isso é muito bom. Adorei.Aí tem força de vontade, posso dizer é VOLUNTÁRIA.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...