¹

10.2.14

ARTIGO DE JOEL GOMES - UMA ANÁLISE SOBRE A POLÍTICA ATUAL

Recordo-me, ainda muito jovem (adolescente mesmo nos idos da década de 70), quando aqui chegaram em uma Brasília VW amarela novos líderes da política pernambucana como: MARCOS DE BARROS FREIRE, MARCOS CUNHA e JARBAS VASCONCELOS, na tentativa de implementar e estender um conceito "esquerdista" para a juventude, àquela época "amornados" sobre a matéria e muitas vezes proibidos pelos pais de tocar no assunto – política -. 

Abílio Leite de Oliveira (prefeito no mandato tampão 1971/1972), então novo líder político de Tuparetama e com pensamentos mais postulados para a esquerda, nos convidou e muitos outros jovens e os recepcionamos com "honras esquerdistas". " Chegaram numa Brasília, para nós já é o suficiente em sabermos que pelo menos a esquerda tem um automóvel para transpor todo o estado de Pernambuco". Essas foram as palavras posteriores de Abílio aos jovens da época. 

Pois bem, reunião iniciada pelo jovem Marcos Cunha, seguindo-se das palavras de Jarbas Vasconcelos e logo após outro jovem com "uma cabeleira esvoaçante" e que empolgava pelo tom e disciplinamento dos discursos, conhecido como Marcos Freire, fechou nossa reunião e filiações em Tuparetama. Dando sequência as visitas, caminhamos, eu e Abílio, junto com o grupo, em um "Fusca" que pertencia a Joaquim Filomeno de Menezes (Quinca Filó), meu saudoso e querido amigo. 

Chegamos a São José do Egito e Marcos Cunha, junto com os demais, pararam no Barraco de Jaime (que alguns o denominavam como o Barraco do Aleijado, pois, faltava-lhes parte do membro superior que fora engolido por um motor de agave) para "tomar uma Pitú e comer um preá". Seguimos para a Farmácia Veterinária do recém formado, Dr. Antônio José que juntamente com Gilberto Rodrigues, Rona Leite e outros "assinavam" as fichas de filiação do Movimento Democrático Brasileiro - MDB.  Ainda mais distante, fomos a Itapetim e numa serraria (se não me falha a memória de uma pessoa chamada José Alves ou similar), fui eu o preenchedor das "Fichas de Filiação" de alguns itapetinenses que ajudaram ao Brasil, anos depois, a conquistar a liberdade que sonhávamos. 

Falecido em um acidente de avião, Marcos Freire deixou seu legado para o colega Jarbas Vasconcelos que contribuiu com a "autenticidade", como Fernando Lyra, Maurílio Ferreira Lima, Fernando Coelho, Egídio Ferreira Lima... Estes sem medo do Ato Institucional 05 (AI-5), sabiam que nós não poderíamos sucumbir numa ditadura que castrava nossos direitos e massacrava os que iam de encontro com os "homens de fardas". 

Tiveram suas vidas minuciosamente investigadas, grampeados, acintes sofridos, tentativas de implantar escândalos e outros sistemas que corroboravam com a ditadura. Deputado Estadual, Federal, Prefeito do Recife (02 mandatos), Governador(02 mandatos) e Senador, contribuiu este homem público, probo (alguns discordam, porém, ao acusador, cabe o ônus da prova), de firmes posições, que nas páginas amarelas da revista Veja disse o que muitos políticos brasileiros não tem coragem de dizer, cumpriu a duplicação da BR 232 e implementou uma nova dimensão política de alianças em Pernambuco. 

Entre atos políticos, volta Arraes, o Mito (e que prazer quando o vi pela primeira vez no Recife e tornei-me seu seguidor), alia-se a Jarbas, depois segue para o PSB e faz parceria com o PT que tinha pouca representatividade. Jarbas numa linha, Arraes noutra. Dois bicudos não se beijam. Hoje, Jarbas reconhece no neto de Arraes e atual governador do estado, Eduardo Campos, pré candidato a Presidente, como líder e inovador da política, ou seja, uma nova oxigenação nas diretrizes de quem vê nas mudanças uma reforma de governabilidade. Imaginar que Jarbas, como tantos outros pernambucanos, tem ou tiveram sua estabilidade política "fuçada", no entanto, inabalada pela conduta que perseguiu durante seus anos de trabalho em favor do povo é a prova de que homens da estirpe de Jarbas Vasconcelos não precisam por em prática a "politicagem" para dizer que existe ou existiu, para a definição aristotélica, a verdadeira aplicação da ciência política no seu "curriculum vitae".

Joel Gomes 
Presidente da COPAP - Comissão Parlamentar do Pajeú
Vereador de Tuparetama.

Um comentário:

Josa Rabêlo disse...

Ele, Jarbas, pode ser até um "deus", mas que foi o pior governador para servidor público da história, isto sim, ele foi!!!!
Josa Rabelo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...