¹

18.3.15

CENTRO DE INCLUSÃO PRODUTIVA DE TUPARETAMA É FINALISTA DE CONCURSO DA AMUPE

A AMUPE divulgou na tarde dessa terça-feira (17) a relação com doze municípios selecionados no Concurso Práticas Inovadoras da Gestão Municipal, para apresentação durante o 2º Congresso Pernambucano de Municípios, que começa nesta segunda-feira, 23 e termina na quarta-feira,25, no Centro de Convenções de Olinda. Destas, as duas que alcançaram as maiores notas já ocupam o primeiro e segundo lugar, mas só serão conhecidas no dia da premiação. O público do Congresso votará nas selecionadas e uma delas será premiada pelo maior número de votos. Três práticas serão premiadas. O objetivo do concurso é identificar e disseminar práticas bem sucedidas de gestores pernambucanos que estejam contribuindo para melhorar a qualidade dos serviços públicos e a melhoria na vida das pessoas Ao todo, 76 práticas foram inscritas num total de 45 municípios participantes. A comissão responsável pela análise dos projetos foi composta por integrantes do Fundo das Nações Unidas para a Infância – Unicef, Sebrae, Secretaria de Planejamento do Estado – Seplag, União dos Dirigentes Municipais de Educação – Undime e Confederação Nacional dos Municípios – CNM. 

Confira os selecionados, por ordem alfabética: 1. Araripina – Grupo de autocuidado em prevenção da incapacidade da Hanseníase 2. Garanhuns – Fortalecimento de práticas leitoras 3. Goiana – Economia criativa 4. Jaboatão dos Guararapes – CRAS itinerante 5. Lagoa Grande – Centro de Ensino Técnico Profissionalizante 6. Olinda – Consultório na Rua Olinda 7. Ouricuri – Convivendo com o semiárido 8. Santa Cruz do Capibaribe – Manual da Rede de Atendimento a Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar 9. São Bento do Una – Gestante Cidadã 10. São José do Egito – Agência de Desenvolvimento Econômico de São José do Egito – ADESJE 11. Timbaúba – Tratamento terapêutico e social para crianças e adolescentes do município de Timbaúba e região 12. Tuparetama – Centro de Inclusão Produtiva de Tuparetama.

O projeto da criação do Centro de Inclusão Produtiva de Tuparetama é um dos finalistas do concurso de Práticas Inovadoras do 2º Congresso da Amupe. Em parceria com escolas estaduais e municipais existentes no município, o Governo Municipal através da Secretaria Municipal de Assistência de Social, em planejamento e ação integrada, traçaram estratégias de incentivo à geração de renda e emprego (processamento primário de frutas, visitas a indústrias regionais, capacitação sobre associativismo e cooperativismo, oficinas gestão de negócios, empreendedorismo, feira do empreendedor, etc.) tendo como consequência a implantação de um centro de inclusão produtiva, centro este pioneiro e inédito tanto no município de Tuparetama como na região do Alto Sertão do Pajeú, microrregião do sertão pernambucano. 

O CIPT- Centro de Inclusão Produtiva de Tuparetama-PE teve início em janeiro de 2014 e se estendeu até dezembro de 2014, tendo como objetivo promover ações que proporcionem o aumento de renda e oportunidade de ocupação da população em situação de vulnerabilidade de pobreza e, ainda contribuir com o processo de emancipação a partir da construção de relações equitativas, solidárias e democráticas gerando autonomia financeira e social. 

A implantação do CIPT contribuiu para fomentar a criação da Cooperativa dos Agricultores e Produtores de Beneficiamento de Frutas de Tuparetama, incentivando uma melhoria na qualidade de vida dos beneficiários bem como a geração de renda para as famílias em situação de vulnerabilidade e pessoas que não tiveram a oportunidade de se qualificarem. Todas as ações desenvolvidas no CIPT se deram de forma totalmente gratuita (com distribuição de fardamentos, material didático, transporte para os beneficiários da zona rural, alimentação e etc.) garantindo o livre e democrático acesso dos beneficiários e da comunidade local. 

O CIPT terminou repercutindo e causando impacto positivo não apenas para a população de Tuparetama-PE, em especial aos beneficiários, mas também entre gestores municipais do Pajeú, qual seja, aqueles/as que se interessam pela formação profissional produtiva e social (tendo como fomento à produção regional de polpa de frutas e seus derivados). A repercussão do CIPT do Programa Pernambuco no Batente na comunidade e também nas mídias tradicionais e redes sociais atingiu toda a região do Pajeú, sendo avaliado pela equipe da Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos de Pernambuco como o segundo melhor Centro de Inclusão Produtiva do Programa Pernambuco no Batente de todo Estado.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...