28.10.16

MENSAGEM DO PREFEITO DÊVA PESSOA NO DIA DO SERVIDOR PÚBLICO


ESCOLA ERNESTO DE SOUZA LEITE COMEMORA 68 ANOS COM PROGRAMAÇÃO FESTIVA NESTE FINAL DE SEMANA



26.10.16

PREFEITURA CANCELA CONCURSO PÚBLICO E RESSARCE INSCRITOS


A Prefeitura de Tuparetama cancelou o concurso público de 2016, que estava suspenso por motivo do calendário eleitoral. Tendo em vista as determinações referentes a transição de governo, a atual gestão fica impossibilitada de efetivar o referido concurso. 

O Edital de cancelamento 03/2016 foi assinado nessa terça-feira (25) pelo prefeito Dêva Pessia e está disponível no site oficial da Prefeitura (CLIQUE AQUI PARA ACESSAR) e na página da empresa responsável pelo concurso. 

A taxa paga na inscrição será devolvida aos candidatos. 

Para o ressarcimento da taxa, o candidato inscrito deverá acessar no site da empresa responsável pelo concurso, a IDHTEC e preencher formulário específico disponibilizado na página (CLIQUE AQUI PARA ACESSAR). 

A secretária municipal de Administração, Lucinete Lima, afirmou que os inscritos não serão prejudicados, com direito a devolução das taxas de inscrição na forma da lei, através do formulário que deve ser preenchido e enviado até o dia 30 de novembro. As dúvidas também podem ser esclarecidas no setor jurídico e administrativo da Prefeitura Municipal.

16.10.16

VIDEOTECA TUPARETAMA: CARNAVAIS DE 1991 e 1997

INÁCIO DE CHICA E SEUS 91 ANOS DE VIDA



Por Ana Paula Morato

Nossa família homenageia o popular Inácio de Chica pelos seus 91 anos de idade completados na última quarta-feira, dia 13 de outubro.  Inácio Raimundo da Silva nasceu na comunidade rural Poço do Boi, município de Sumé-PB. 

Conta que sua infância foi de andarilho, pelas estradas do sertão al lado de sua mãe Chica e seu irmão Mané (ambos já falecidos e sepultados em Tuparetama). Dormiam nos ranchos e nas casas abandonadas 'pelo meio do mundo". Inácio ainda recorda e sabe contar detalhes dessas suas andanças de criança.  

A segunda fase da vida de Inácio e sua família (mãe e irmão) teve início aos 14 anos quando chegaram na Casa dos Valentins, onde acharam acolhida.  Desde então e até hoje, Inácio convive conosco e faz parte da nossa história, bem como da História de Tuparetama, afinal todos conhecem essa figura especial e todos tem carinho pelo nosso Inácio. Parabéns Inácio, muitas felicidades e muitos anos de vida! 


14.10.16

TÚNEL DO TEMPO: CARNAVAL DE 1987 EM TUPARETAMA

POR AÍ... Outubro de 2016










TUPARETAMENSES MAICON HERVERTON, AUGUSTO RODRIGUES E THIAGO JOSÉ TEM 10 ARTIGOS APROVADOS EM EVENTOS E REVISTAS ENTRE AGOSTO E OUTUBRO/2016


Apesar de estar entre os menores municípios de Pernambuco, Tuparetama tem se destacado como celeiro de jovens universitários e pesquisadores de sucesso, como já divulgamos anteriormente neste blog.  

É o caso dos jovens Maicon Herverton, Augusto Rodrigues e Thiago José, tuparetamenses e primos, cujos artigos recentes foram aprovados em grandes eventos/revistas das áreas de Sistemas de Informação, Ciências Contábeis e Engenharia de Produção, sendo eles:

4ª Edição da Revista S.I.nforme:
o   Título do artigo aprovado: A importância do uso de ferramentas de software na Auditoria Eletrônica de Estoques Fiscais.
o   Autores: Maicon, Augusto, Thiago e outros...
o   Titulo do artigo aprovado:Coleta de requisitos de objetos de aprendizagem multimídia: uma proposta com base na engenharia de software.
o   Autores: Maicon, Augusto, Thiago e outros...
o   Serão publicados em periódico/revista, quando publicados estarão disponível em: http://si.facol.com/?page_id=198
·        
I Congresso UFPE de Ciências Contábeis (X Seminário UFPE de Ciências Contábeis):
o   Título do artigo aprovado: AUDITORIA ELETRÔNICA DE ESTOQUES APOIADA POR SOFTWARE COMO INSTRUMENTO DE OTIMIZAÇÃO NA DIMINUIÇÃO DE ERROS E RISCOS FISCAIS: UM ESTUDO DE CASO EM EMPRESAS DOS ESTADOS DE PERNAMBUCO E CEARÁ;
o   Autores: Maicon, Augusto e outros...
o   Será apresentado dia 26/10/2016 das 19h às 19:30 na UFPE, Recife – PE. O artigo pode ser consultado nos anais do evento, disponível em: http://periodicos.ufpe.br/revistas/index.php/SUCC/article/view/2388
·        
II Encontro Nacional da Agroindústria (II ENAG):
o   Título do artigo aprovado: AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FÍSICO-QUÍMICA DAS ÁGUAS DE POÇOS LOCALIZADOS NO MUNICÍPIO DE SUMÉ-PB (Maicon, Augusto e outros).
o   Autores: Augusto, Maicon e outros...
o   O evento acontecerá de 5 a 8 de Dezembro em Bananeiras – PB.
o   Todos os trabalhos aprovados serão publicados como Capítulo de Livro pelo IBEA (Instituto Bioeducação). Os melhores trabalhos serão publicados na RBIC (Revista Brasileira de Informações Científicas).
o   Site do evento: http://iienag2016.wixsite.com/enag
·        
I Congresso Internacional da Diversidade do Semiárido (I CONIDIS):
o   Título do artigo aprovado: DIAGNÓSTICO DOCENTES X DISCENTES, SOBRE AS REPROVAÇÕES DAS DISCIPLINAS DE CÁLCULO EM UM CENTRO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DO SEMIÁRIDO.
o   Autores: Augusto, Maicon e outros...
o   O evento acontecerá de 10 a 12 de Novembro em Campina Grande – PB.
o   Disponível em: http://www.conidis.com.br/trabalhos-aprovados.php (Procurar Autor principal: AUGUSTO JOSÉ DA SILVA RODRIGUES)
o   Autores: Augusto, Maicon e outros...
·         
Congresso Internacional de Administração 2016:
o   Título do artigo aprovado: A concepção dos alunos da UFCG sobre a logística reversa associada ao óleo de cozinha.
o   Autores: Augusto e outros...
o   O evento ocorreu de 13 a 16 de Setembro de 2016.  Os anais serão publicados em dezembro e estarão disponíveis em: http://www.admpg.com.br/2016/index.php?id=89
·       
  XXIII SIMPEP - Simpósio de Engenharia de Produção
o   Título do artigo aprovado: Utilização do método OWAS na análise postural do carregamento de sacos de cimento em uma empresa de materiais de construção.
o   Título do artigo aprovado: Análise dos riscos ocupacionais presentes em um açougue de uma cidade do interior da Paraíba.
o   Título do artigo aprovado: Utilização do luxímetro para o estudo dos níveis de iluminância na área de conivência da cantina da Universidade Federal de Campina Grande (Campus Sumé-PB).
o   Título do artigo aprovado: Aplicação da engenharia de métodos no desenvolvimento de um dispositivo de treinamento.
o   Autores: Augusto e outros...
o   O evento acontecerá de 9 a 11 de Novembro em Bauru – SP.


Maicon Herverton é Professor Pesquisador II do IFPE,
Professor da FACOL e
Sócio-Diretor na LIFE STI.
Para conhecer outras obras
e publicações suas:
http://lattes.cnpq.br/7992942343005315







Augusto Rodrigues é graduando do curso de
Engenharia de Produção, pela
Universidade Federal de Campina Grande/
Centro de Desenvolvimento Sustentável do Semiárido
(UFCG / CDSA) e
é estudante do curso de Técnico em
Segurança do Trabalho (Eixo Tecnológico: Ambiente,
Saúde e Segurança), pela
Escola Técnica Estadual Almirante Soares Dutra (ETEASD).


Thiago José é graduando 
do curso de Sistemas de Informação 
da UFRPE/UAST.

13.10.16

TÚNEL DO TEMPO: MISSA DO VAQUEIRO DE TUPARETAMA - 1995 (2ª Parte)

DIRETOR DO DNOCS PROMETE RETOMADA DA CONSTRUÇÃO DA BARRAGEM DA INGAZEIRA/CACHOEIRINHA PARA OS PRÓXIMOS DIAS


O diretor geral do DNOCS garantiu que as obras da Barragem da Ingazeira/Cachoeirinha terão continuidade nos próximos dias. A afirmação foi dada em reunião dessa terça-feira, dia 11 de outubro, no canteiro de obras da Barragem.  Estavam presentes na reunião o prefeito da ingazeira, Luciano Torres, vereadores de Tuparetama, São José do Egito e Ingazeira. O Empresário Diretor do Consórcio GMEC/NOVATEC responsável pelas atuais obras da Barragem também esteve na reunião.
Foi solicitado um prazo de 15 a 20 dias para reajuste da equipe de trabalho, com a promessa da continuidade as obras em seguida. Jackson Oliveira, chefe da CEST/PE do DNOCS foi um dos mais otimistas e chegou a prever a “inauguração” da barragem em junho de 2017. 

Infelizmente outras reuniões e outras promessas foram feitas anteriormente e não foram totalmente cumpridas. Em reunião anterior a promessa do DNOCS era a conclusão das obras em dezembro deste ano. É bom não confundir nossa vontade de ver a Barragem da Cachoeirinha finalizada com a realidade da burocracia estatal e da morosidade das construtoras que acabam “lucrando” com a demora e a prorrogação dos prazos. Com um cronograma de obras tantas vezes adiado, a Barragem da Cachoeirinha, orçada em 34 milhões de reais, pode ainda ser um sonho distante, sobretudo se levarmos em consideração o corte geral de recursos do ‘governo’ federal para o próximo ano.   

TÚNEL DO TEMPO: MISSA DO VAQUEIRO DE TUPARETAMA - 1995 (1ª Parte)

VIDEOTECA TUPARETAMA: FESTA DAS MÃES DE TUPARETAMA EM 1988 (Parte 2)

12.10.16

CRÔNICA - NO MEU TEMPO DE CRIANÇA EM TUPARETAMA


Por Tárcio Oliveira

“Seu Rei mandou...” era uma das dezenas de brincadeiras de rua que a gente fazia para passar o tempo na infância vivida em Tuparetama.  Quem ganhava a vez de rei desafiava a coragem da turma com mandados nem sempre seguros, tipo subir no pé de algaroba o mais alto que conseguisse e em seguida pular no chão. Outros mandados eram nada inocentes, como abraçar uma moça que estivesse passando ali por perto naquele momento. Imagina, moleques suados, sem banho... coitadas das moças. 

Lá se vão mais de 30 anos de um tempo totalmente diferente da realidade das crianças de hoje. Não havia tv nem sombra das tecnologias recentes como celular, internet, jogos eletrônicos...,  foi uma época sem dinheiro, sem luxos, sem equipamentos de lazer.  O lugar de brincar era a rua, o sítio ou o quintal de casa. Não havia clube nem ginásio nem quadra nem lan-house.

Tínhamos mais, muito mais que as crianças de hoje, tínhamos ‘o mundo inteiro’ ao nosso redor e muita imaginação.  Não digo com isso que era uma infância melhor ou pior que a atual, nem que era mais ou menos privilegiada. Digo que era diferente. Em tudo. Mais saudável, certamente. Não havia desculpas para sedentarismo nem para brincadeira ‘segura’.

Todos da minha geração tinham ou tiveram antes de entrar na adolescência algum osso quebrado (braço, dedo, perna, clavícula, costela) dente quebrado, joelho ralado, dedo esfolado...  tudo 'coisa corriqueira' que a gente estancava o sangue com areia e cuspe e escondia do pai e da mãe o máximo possível para evitar umas boas lapadas. E rezava para não ser nada sério nem precisar tomar uma injeção com Seu Pretinho da Farmácia, o maior terror de 10 entre 10 crianças do meu tempo.  

Um lugar onde não estávamos a salvo dos machucados era na escola, território de invenções emocionantes como a brincadeira do “recanto” em que uma pessoa ao centro tentava ocupar um dos 4 pontos do quadrado ou seu redor, ao mesmo tempo em que essas pessoas tinham que mudar de lugar rapidamente e nesse momento podiam ser enganadas ou empurradas dando com a cara no chão, literalmente. 

Ao chão também a gente ia, principalmente os menores e mais fracos, com a tal “queda de cebola” que consistia num ataque em dupla, com um se colocando de quatro às nossas costas sem que percebêssemos e outro se aproximando pela frente e nos empurrando com força sem que tivéssemos tempo de reagir. Quedas espetaculares e doloridas. 

Nesse tempo ninguém sabia o que era bullying. Não se conhecia a palavra mas todos tinham apelido e todos zombavam e eram zombados por conta dos seus atributos físicos: alto, baixo, gordo, magro, feio, míope, galego, preto, gago, gasguito... não tivemos uma infância politicamente correta. Não mesmo. Principalmente quando chegava circo na cidade, para nós o melhor momento do ano e mais uma oportunidade de bullying:  “Hoje tem espetáculo?” “Tem sim senhor” “E o palhaço o que é?” “Ladrão de mulher” “Olha a negra no portão” “Com a cara de barrão”.... !

A divulgação do circo era feita a pé pelas ruas da cidade, o palhaço na frente gritando refrões e a gente – a molecada- atrás, respondendo, para garantir a entrada gratuita à noite. A senha era uma letra ou um carimbo no braço depois da caminhada de divulgação e quem não gostava de banho - quase todos-  tinha mais uma justificativa para não tomá-lo naquele dia. Era só chegar em casa, lavar os pés e o rosto numa bacia com água, passar o pente no cabelo e correr para garantir um bom lugar na arquibancada.  No outro dia, na escola, a professora não conseguia dar aula porque todos queriam imitar os trejeitos, a vozes e as caras dos palhaços, contar as piadas e pensar num jeito de conseguir a entrada no circo à noite novamente.

Pensar no meu tempo de criança é também rememorar cheiros e sabores, desses que não voltarão jamais e existem apenas guardados com carinho na memória e no coração.

Tinha a merenda de Dona Maria, pra mim as melhores eram a papa (mingau) grossa, sabor de côco, e a farofa com charque. Tinha o cheiro da rapadura derretida para o alfenim de Dona Joaninha Bante, que vendia lanches em frente à escola.  Quando a gente tinha dinheiro, o que era raro, podia comprar o alfenim ou aquela fatia de pão com doce de leite. Além de Dona Joaninha próxima à Escola Paroquial, na esquina da rua da Matriz, estava a bodega de Seu Albertino, um descendente de italiano ou de português, não sei ao certo, branco, alto, ranzinza.  Era a bodega onde a gente gastava as moedas com brebotes: guaravina, crush, bolacha mata-fome, chiclete e balas, que a gente chamava de “confeitos” e não de balas. 

Com o calor e com o tempo algumas balas ficavam úmidas, meio derretidas. A gente ia devolver enfrentando a birra de Seu Albertino, para não perder nossos centavos valiosos: “Seu Albertino a gente não quer esse confeito não, tá mole, foi lambido. Deve ter sido Nina que chupou e depois botou de volta pra vender” Nina era a filha de Seu Albertino que nas horas livres ajudava o pai na bodega.

Ah... e tinha nosso “lanche” preferido, porque era barato e demorava na boca, o pirulito Zorro. A gente não mastigava, ia lambendo devagar, pra render mais. Sobretudo havia naquele tempo, de modo soberano e onipresente, no período da safra, o cheiro de goiaba por toda a pequena cidade, vindo da fábrica de polpas. Ainda agora, enquanto escrevo, encho a boca de saliva e os olhos de saudade.


VIDEOTECA TUPARETAMA: FESTA DAS MÃES DE 1988 (Parte 1)

TÚNEL DO TEMPO: DESFILE DE 7 DE SETEMBRO DE 1986 (Parte 2)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...