IMAGEM DO DIA

IMAGEM DO DIA

14.11.19

TUPARETAMA | Candidatos a Conselheiros Tutelares derrotados recorrem a Promotoria de Justiça para anular a eleição


Movimentação em frente a Escola Francisco Chaves Perazzo, local de votação para Conselheiros Tutelares 
de Tuparetama em 6 de outubro deste ano.

Os candidatos que apresentaram ao Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente de Tuparetama (CMDCA) recurso de anulação do processo eleitoral de 2019, realizada no dia 6 de outubro, encaminharam esta semana ao Ministério Público contestação do parecer da Comissão Eleitoral publicada no Diário Oficial dos Municípios. 

Os candidatos que contestaram o processo eleitoral e que agora recorrem à Promotoria de Justiça na Comarca de Tuparetama alegam irregularidades durante a votação e se consideram prejudicados, por isso pretendem que a justiça anule as eleições e realize uma nova votação. 

Mesa apuradora dos votos, candidatos e seus fiscais
Após a votação de 6 de outubro, dentro do prazo legal estipulado pelo edital, protocolos de anulação das eleições foram encaminhados ao CMDCA pelos candidatos Lindinaldo, Nécia, Juliana e Vanuza Melo. Após o recebimento dos pedidos de impugnação o CMDCA convocou a Junta eleitoral para analisá-los e ouvir os denunciantes e suas testemunhas. No entanto, segundo o CMDCA, as testemunhas indicadas não compareceram e não foram apresentadas provas de irregularidades, o que ocasionou a desconsideração dos pedidos de impugnação pelos membros da Junta. 

“Entendemos a insatisfação dos denunciantes, mas todos são cientes da seriedade e da transparência com que foi realizado o processo de votação - disse Aline Perciane, presidente do CMDCA - Todos são plenamente conhecedores de que não houve nenhuma irregularidade. Há queixas em geral alegando desorganização durante as eleições, pouco reforço policial, e locais de votação lotados, mas isso não é irregularidade nem crime, seriam falhas que precisam ser anotadas e evitadas nas próximas eleições do Conselho. São problemas que ocorreram praticamente em todas as cidades e estavam fora da nossa capacidade humana e material de superação naquele momento, mas que não comprometeram a seriedade e a validade da eleição.” Justificou a presidente. 

Insatisfeitos com a resposta oficial do CMDCA os candidatos solicitam da promotora de Justiça titular da Comarca de Tuparetama que analise as denúncias e acate seus pedidos de anulação da eleição para Conselheiros Tutelares deste município.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...